UM ESTUDO EMPÍRICO UTILIZANDO O ÍNDICE DE OPORTUNIDADE HUMANA PARA O BRASIL

Daniel Cirilo Suliano, Jaime Jesus Filho

Resumo


O desenvolvimento das mais diversas habilidades de um indivíduo pode muitas vezes estar associado à desigualdade de acesso a um conjunto de oportunidades durante a infância, tanto em razão das escolhas sociais da sociedade à qual ele pertence, como também de circunstâncias que estejam fora de seu controle ao nascer. Nesses termos, e objetivando a projeção de políticas públicas de longo prazo, foi desenvolvido o Índice de Oportunidade Humana (IOH), indicador síntese da cobertura de bens e serviços básicos para o bem-estar de crianças a partir de parâmetros pré-determinados. Utilizando dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) do IBGE para o Brasil nos anos de 2001-2011, foram elencados oito indicadores de serviços básicos, sendo cinco de dimensão habitacional e três de dimensão educacional, a partir de sete variáveis de circunstâncias. Os resultados mostram, além de uma heterogeneidade das oportunidades nas taxas de cobertura, uma ampliação da rede de acesso, não obstante diferenças entre os grupos de distintas circunstâncias.


Palavras-chave


Índice de Oportunidade Humana; Desigualdade de Oportunidades; Circunstâncias

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.44300



 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456