A ELEIÇÃO DE DILMA EM 2010 E SEUS DETERMINANTES: EVIDÊNCIAS EMPÍRICAS DO PROGRAMA BOLSA FAMÍLIA

Ana Elisa Gonçalves Pereira, Cláudio Shikida, Felipe Garcia Ribeiro, Luciano Nakabashi

Resumo


O presente artigo apresenta evidências empíricas de que o Programa Bolsa Família teve um papel preponderante na eleição da candidata do Partido dos Trabalhadores, Dilma Rousseff, em 2010, e que esse efeito foi superior ao do desempenho econômico favorável nos dois mandatos do governo Lula. Utilizando dados agregados por município, os resultados, sob o modelo de regressão beta, mostram que esse cenário se mantém mesmo quando se leva em conta outras variáveis de cunho econômico, social e político e as especificidades regionais não observáveis. As estimativas obtidas apontam também para uma votação mais expressiva em Dilma nos municípios com menor nível de escolaridade, dando suporte à hipótese presente na literatura de que essas populações tendem a ser mais dependentes do Estado e, portanto, a primar pela manutenção do poder vigente. Os resultados obtidos são robustos a diferentes especificações.


Palavras-chave


Eleições presidenciais; Bolsa família; Regressão beta

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.40076



 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456