LIQUIDEZ INTERNACIONAL E FORMAÇÃO BRUTA DE CAPITAL FIXO: EVIDÊNCIAS ECONOMÉTRICAS PARA AS ECONOMIAS DESENVOLVIDAS E EM DESENVOLVIMENTO

Daniela Almeida Raposo Torres, Marco Flávio da Cunha Resende

Resumo


O objetivo deste artigo consiste em realizar uma investigação empírica sobre a relevância da liquidez internacional na determinação do investimento. Particularmente, é investigado se os efeitos das oscilações da liquidez internacional sobre o investimento são distintos quando se considera o grupo das economias desenvolvidas e o grupo das economias em desenvolvimento, cujo sistema nacional de inovação (SI) apresenta menor desenvolvimento relativo. Tal análise é realizada com base na estimação de um modelo de investimento com dados em painel, segundo o método panel corrected standard errors (PCSE). Esse modelo apresenta como substrato teórico a abordagem pós-keynesiana. Os resultados confirmam que, nas economias em desenvolvimento, as oscilações do investimento são mais aderentes às variações da liquidez internacional do que nas economias desenvolvidas.

Palavras-chave


Liquidez internacional; Sistema nacional de inovações; Investimento.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.37166



 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456