IGNÁCIO RANGEL: CICLOS LONGOS, DUALIDADE, E UM DEPOIMENTO PESSOAL

Luiz Carlos Bresser-Pereira

Resumo


Para Ignácio Rangel, o desenvolvimento econômico é um movimento intrinsecamente contraditório, através do qual a inovação tecnológica, cuja dinâmica explica o ciclo longo, está em permanente conflito com os capitais existentes que são por ela depreciados. O desenvolvimento no Brasil não é simplesmente a oposição de um setor capitalista e outro pré-capitalista; existe também uma dualidade externa que não apenas expressa a relação entre suas fases de crescimento econômico e o desenvolvimento da economia mundial, mas também mostra como os setores moderno e atrasado conflitam em cada etapa. A dualidade tem um duplo caráter: através da coexistência de relações de produção que correspondem a duas fases históricas sequenciais, e através da existência, no mercado doméstico e no "polo" externo de tal dualidade, uma relação de dependência para as sociedades mais avançadas.

Palavras-chave


Dualidade; Desenvolvimento; Relações de produção; Ciclos longos

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.31444



 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456