DIVERGÊNCIA E DISTRIBUIÇÃO INDUSTRIAL NO RIO GRANDE DO SUL (1985-2003)

Igor Alexandre Clemente de Morais, Vanessa Frainer

Resumo


Este artigo tem como objetivo abordar os aspectos de Divergência e de distribuição do porte das empresas no Rio Grande do Sul, a partir de duas metodologias. A comparação da estrutura industrial entre diferentes regiões do Estado é feita com o índice de Divergência regional proposto por Krugman (1997). Os resultados comprovam que, apesar da tendência de redução das disparidades na estrutura industrial, esse processo ainda é lento e preserva a existência de forte Divergência. Em relação à distribuição do porte das indústrias, as diversas funções de densidade estimadas indicam uma distribuição não gaussiana para o emprego. Além disso, os resultados para o modelo linear proposto por Zipf (1949) sinalizam a existência de disparidades na oportunidade de crescimento entre os portes de empresas. O modelo não-linear proposto por Rosen et al. (1980), indica a existência de concavidade, revelando que as empresas de porte intermediário, as pequenas e médias, representam a dinâmica do emprego do setor no período de análise.

Palavras-chave


Concentração industrial. Economia regional e urbana. Lei de Zipf. Índice de divergência.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.10912



 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456