CÂMBIO, INFLAÇÃO, JUROS E RESERVAS NA TRANSIÇÃO DE REGIMES CAMBIAIS: UMA INVESTIGAÇÃO ECONOMÉTRICA PARA O BRASIL

Flávio Vilela Vieira, Carlos de Almeida Cardoso

Resumo


O presente trabalho analisa a transição de regimes cambiais no Brasil através da estimação de um modelo VAR e seus instrumentos. A hipótese inicial é de que ocorreram mudanças na interação entre câmbio, juros, inflação e reservas, além de examinar a pertinência do receio da flutuação cambial. Os resultados indicam a ocorrência de mudanças na dinâmica entre tais variáveis ao se transitar de um regime mais rígido para um mais flexível, corroborando a hipótese inicial. Sumarizando os resultados empíricos, pode-se dizer que ao se comparar os dois regimes cambiais há uma similaridade no caráter exógeno da taxa de câmbio, a importância da taxa de juros no combate inflacionário (contenção de demanda) no regime rígido e a resposta da taxa de juros à inflação (metas de inflação) no regime de câmbio flexível. Quanto ao receio da flutuação, os resultados para o Brasil se afastam daqueles encontrados para outros países que vivenciaram a transição de regimes e o problema de credibilidade parece não ser fundamental ao se transitar para um regime cambial mais flexível.

Palavras-chave


Regimes Cambiais. Análise VAR. Brasil.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.10879



 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456