ESCOLHA DE PORTFOLIO, INVESTIMENTO E NAO-NEUTRALIDADE DO MOEDA UMA CRÍTICA A TESE NEOCLÁSSICA DE NEUTRALIDADE DA MOEDA NO LONGO PRAZO

José Luis Oreiro

Resumo


O presente artigo tem por objetivo fazer uma avaliação crítica da tese neoclássica de que a moeda é não-neutra apenas no curto prazo. Nesse contexto, iremos argumentar que a neutralidade da moeda no longo prazo é um resultado pouco robusto, pois depende criticamente da hipótese de que a produtividade marginal do capital é constante e independente das decisões de portfólio dos agentes. Em outras palavras, a neutralidade da moeda no longo prazo não exige apenas que a economia esteja operando com plena utilização da capacidade produtiva - ou pleno emprego da força de trabalho - mas também que a produtividade marginal do capital não seja afetada por variações do investimento planejado. Se essa condição não for atendida, um aumento once-and-for-all da oferta de moeda (um deslocamento da LM para a direita) irá produzir uma redução da taxa real de retomo dos ativos de capital, mesmo no caso em que a economia esteja operando com pleno emprego da força de trabalho. Isso ocorre porque um aumento da oferta de moeda irá produzir uma situação inicial de excesso de oferta de moeda que induzirá os agentes a se livrar dessa moeda em excesso através de um aumento das compras de bens de capital, ou seja, através de um aumento do investimento. Com a economia operando em pleno emprego, o preço de oferta do equipamento de capital recentemente produzido irá aumentar, fazendo com que haja uma redução da taxa real de retomo dos ativos em consideração. A moeda é não-neutra no longo prazo porque ela é capaz de influenciar a composição - embora não o nível absoluto - do produto real, bem como a taxa real de retomo do investimento em capital fixo.

Palavras-chave


Escolha de portfolio. Eficiência marginal do capital. Política monetária.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.10778



 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456