NECESSIDADES E OS CONDICIONANTES DA SEGUNDA OCUPAÇÃO

Wilson F. Menezes, José Carrera-Fernandez

Resumo


Este trabalho analisa o importante contingente de pessoas com uma segunda ocupação na Região Metropolitana de Salvador (RMS). Fazendo uso da base de dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego da Região Metropolitana de Salvador (PED-RMS), este artigo estudou a formação do rendimento da segunda ocupação, sob o ponto de vista econométrico, procurando estabelecer os princípios determinantes e condicionantes que levam os trabalhadores a buscar uma segunda atividade no mercado de trabalho. Além disso, este trabalho também analisou a participação dos trabalhadores na ocupação adicional, através de um modelo logit, visando destacar a contribuição dos principais elementos que influenciam a decisão de essas pessoas buscarem uma segunda inserção no mercado de trabalho. Os resultados econométricos revelaram que os trabalhadores mais propensos ao segundo emprego são as mulheres, os chefes de família e os assalariados, os quais são impelidos a procurar uma segunda ocupação basicamente em decorrência dos baixos ganhos no trabalho principal. De fato, essa fonte de rendimento adicional é um fator determinante que leva os trabalhadores a buscarem um segundo emprego no mercado de trabalho. No entanto, percebe-se também que a decisão do trabalhador em participar pela segunda vez na força de trabalho deve-se em muito ao nível de esforço (medido em horas dedicadas ao trabalho) que o mesmo aplica nessa ocupação adicional.

Palavras-chave


Segundo emprego. Mercado de trabalho. Renda do trabalho.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.10730



 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456