CICLOS E PREVISÃO CÍCLICO: O DEBATE TEÓRICO E UM MODELO DE INDICADORES ANTECEDENTES PARA O ECONOMIA BRASILEIRA

Fernando J. Cardim de Carvalho, Paulo Fernando Hermanny

Resumo


O conceito de ciclo econômico tem servido, desde seu aparecimento na segunda metade do século XIX, para a análise dos movimentos de curto prazo de economias capitalistas. A partir das primeiras décadas do século XX, serviu também para incentivar pesquisas voltadas para a construção de métodos de previsão conjuntural nestas economias. O debate teórico foi sempre marcado pela contraposição de modelos monocausais que, não obstante sua eventual fecundidade como abordagem analítica, pouco serviram para o desenvolvimento de modelos de previsão. Em paralelo, contudo, a pesquisa empírica sobre o fenômeno dos ciclos foi mais fértil, permitindo a identificação de várias possibilidades de definição de indicadores de previsão. Entre os métodos de previsão mais conhecidos, está o sistema de indicadores antecedentes, construído originalmente por Wesley Mitchell. O emprego deste método disseminou-se por muitos países, desenvolvidos ou não. Estes indicadores são tradicionalmente usados nos Estados Unidos para orientar políticas públicas e decisões privadas. A OECD os calcula para seus países membros. O Instituto de Economia da UFRJ construiu um sistema de indicadores adequado à economia brasileira, que começa a alcançar, com o fim da alta inflação, a estabilidade estrutural necessária para viabilizar este tipo de trabalho. O texto apresenta as características metodológicas e os primeiros resultados obtidos nesse projeto.

Palavras-chave


Flutuações econômicas. Previsão cíclica.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.10722



 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456