OS ANTIGOS, OS NOVOS E OS NEO-INSTITUCIONALISTAS: HA CONVERGENCIA TEÓRICA NO PENSAMENTO INSTITUCIONALISTA?

Octavio Augusto C. Conceição

Resumo


Esse artigo procura evidenciar que existe um núcleo teórico definido e nem sempre convergente entre as diversas abordagens institucionalistas. O que as distingue é a própria definição de instituição, que pode significar tanto normas de comportamento, quanto normas institucionais ou padrão de organização da firma ou direito de propriedade. Tal diferenciação, porém, não invalida a contribuição teórica de cada abordagem. Pelo contrário, constitui a própria fonte de riqueza do pensamento institucionalista, que tem na interação e na diversidade sua própria relevância teórica. Discute-se nesse artigo as características do método de análise institucionalista, alguns pontos do pensamento de Veblen, o "corpo de conhecimento" formulado pelos neoinstitucionalistas e a contribuição da Nova Economia Institucional de Ronald Coase e Oliver Williamson.

Palavras-chave


Economia Institucional. Teoria Econômica. Institucionalismo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.10664



 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456