CONSUMO AGREGADO E PLANOS DE ESTABILIZAÇÃO NO BRASIL

Jean Carlo Machado, Rosa Fontes

Resumo


Esse trabalho procurou avaliar o impacto dos planos de estabilização da economia brasileira das décadas de 80 e 90 sobre o consumo agregado das famílias. Estimaram-se vetores auto-regressivos da renda, do consumo e da oferta monetária, utilizando variáveis binárias exógenas para indicar a ocorrência dos planos. Os resultados indicaram que os hábitos de consumo das famílias são a variável de maior influência em seu comportamento presente. Constatou-se, ainda, pela análise dos planos de estabilização, que alterações transitórias na renda ou na riqueza dos indivíduos, incapazes de mudar suas expectativas quanto ao tempo que lhes resta de vida ou trabalho, não alteram permanentemente o consumo.

Palavras-chave


Ciclo de vida. VAR. Planos econômicos.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.10652



 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456