OS DEPÓSITOS EM MOEDA ESTRANGEIRA AUMENTAM O BEM-ESTAR? O CASO PERUANO, 1970-1985

Carlos A. Janada

Resumo


A autorização para depósitos em moeda estrangeira é interpretada aqui como uma inovação tecnológica, reduzindo a demanda por moeda doméstica e aumentando o bem-estar. A redução da base do imposto inflacionário leva a um aumento da taxa de inflação e do superávit orçamentário associado. O impacto final sobre o bem-estar é portanto ambíguo. Uma estimação empírica do modelo para a experiência peruana, entre 1970 e 1985, indica que o bem-estar realmente aumentou quando o governo autorizou a abertura de contas em moeda estrangeira.

Palavras-chave


Foreign currency deposits. Welfare. Peru.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.10533



 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456