A TEORIA DA DESREGULAMENTAÇÃO DA ATIVIDADE BANCÁRIA

Anna J. Schwartz

Resumo


Este trabalho analisa três proposições teóricas sobre a teoria da desregulamentação da atividade bancária A primeira delas defende a idéia de que a existência de um mecanismo interbancário de compensação impede o excesso de emissão por parte de um banco individual A segunda propõe que um sistema competitivo provê incentivos suficientes para que os emissores individuais busquem a credibilidade das suas moedas e, com isto, mantenham-se nos limites de segurança de emissão, A terceira propõe que a restrição do desconto bancário às real bills limita a quantidade de moeda que os bancos emitem e que são apenas as restrições legais que impedem a criação de moedas privadas, que são demonstavelmente eficientes. O texto sugere que a adoção de um sistema totalmente desregulamentado implica em falências bancárias. A autora propõe algumas precauções a serem impostas sobre os proprietários e gerentes que dariam incentivos à prudência nos empréstimos e investimentos.

Palavras-chave


Free-banking. Banco central. Regulamentação do sistema financeiro.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.22456/2176-5456.10483



 
.........................................................................................................................................................................................................................

Indexadores


 PROPESQ  PROPESQ PROPESQ   PROPESQ      PERIÓDICOS UFRGS


 
.........................................................................................................................................................................................................................

Universidade Federal do Rio Grande do Sul
Faculdade de Ciências Econômicas
Revista Análise Econômica
ISSN 0102-9924 / e-ISSN 2176-5456