A Importância do Português na “Nação Portuguesa de Hamburgo” e a Gramática Hebraica (1633) de Moshe Gideon Abudiente

Florbela Veiga Frade

Resumo


Moshe Abudiente publicou em Hamburgo em 1633 a primeira gramática conhecida em Português-Hebraico naquela cidade e provavelmente no Norte da Europa. Mas sua importância vai além desta novidade na medida em que revela um eclectismo entre as tradições ibéricas e as judaico-árabes, nomeadamente no espaço dedicado ao ensino da poesia. Uma tendência com repercussões noutras gramáticas e gramáticos. A grande novidade que esta gramática introduz no panorama europeu é o uso do Português nas gramáticas hebraicas, revelando desse modo uma identidade linguística da comunidade sefardita de Hamburgo que começa a desaparecer apenas no século XVIII, mas com resquícios pelo menos até ao século XX. Para além disso, a língua portuguesa, junto com o castelhano, revela-se como língua do ensino nas academias sinagogais (yeshivot) pois a produção de gramáticas durante o século XVII tem a intenção expressa de ajudar o estudo dos talmidim nas principais sinagogas das “Nações Portuguesas” de Amesterdam e Hamburgo. Segundo os dados apurados, a esmagadora maioria das gramáticas neste período são em Português e Hebraico, tal como as inscrições nas sepulturas, deste modo há uma carga simbólica bastante acentuada pois as sinagogas e os cemitérios são locais especiais de ligação dos judeus ao Divino.

 

The importance of Portuguese Language in the “Portuguese Nation in Hamburg” and Moshe Gideon Abudiente’s Hebrew Grammar (1633)- Abstract: Moshe Gideon Abudiente published in 1633 in Hamburg the first known grammar in Portuguese-Hebrew in this city and maybe in Modern North Europe. This grammar eclectically joins an Iberian and a Judaic-Arabic tradition with special incidence in Poetry teaching, a tendency followed by other grammars and grammarians. The use of Portuguese in these particular books reflects a linguistic identity that begins to disappear in the eighteenth century but that remains at least in the twentieth century. The “Nação Portuguesa” from Hamburg and from Amsterdam used Portuguese side by side with Castilian to teach Hebrew in the yeshivot and that can be proved by the several grammars produced during seventeenth century to give assistance to the talmidim in the principal synagogues in both cities. The great majority of this period’s grammar and the inscriptions in the cemeteries were Portuguese-Hebrew written, what is symbolic because synagogues and cemeteries are special places to connect Jews to the Divinity.

 


Texto completo:

PDF