Cotidianidade da mulher que tem hiv/aids: modo de ser diante da (im)possibilidade de amamentar

Stela Maris de Mello Padoin, Cristiane Cardoso de Paula, Ívis Emília de Oliveira Souza

Resumo


Investigação fenomenológica que objetivou compreender a cotidianidade da mulher infectada pelo vírus da imunodeficiência humana, diante da impossibilidade de amamentar. Desenvolveu-se entrevista com 12 mulheres, em um hospital universitário no sul do Brasil. Os depoimentos, analisados pelo método heideggeriano, revelaram que a mulher se mostra como serno- mundo e se mantém, predominantemente, na impessoalidade. Desvelou-se o modo de ser da de-cadência, expresso pela ocupação, falatório, curiosidade, ambigüidade e temor, além da inautenticidade do pacto de silêncio e do não dito. O cuidado solícito, mediado pela relação dialógica entre a mãe e o/a filho/a, entre a mulher e o/a profissional, mostrou a possibilidade do movimento da inautenticidade para a autenticidade. Recomenda-se, como estratégia assistencial, o encontro vivido e dialogado, mediado pela escuta, empatia e intersubjetividade, que se desenvolva a partir da compreensão do modo de ser do humano diante das impossibilidades da condição sorológica e na busca de desvelar suas possibilidades.


Palavras-chave


Enfermagem. Saúde da mulher. Síndrome da Imunodeficiência Adquirida. Aleitamento materno. Filosofia em Enfermagem.

Texto completo:

PDF


ATENÇÃO: AS SUBMISSÕES PARA A RGE DEVEM SER REALIZADAS NO SEGUINTE ENDEREÇO:

https://mc04.manuscriptcentral.com/rgenf-scielo

 
              

 SCImago Journal & Country Rank

 

ISSN 0102-6933 E-ISSN 1983-1447